"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Boletim 255 - [ Intolerância... Luz Guia... Essenciais... ]












 










Intolerância...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 09/agosto/2017


Estamos de certo, muito distantes do viver em um planeta harmonioso,
Vive-se d’uma Paz que muitas pessoas usam para enganar a si mesmas,
Um sentimento demonstrado na maioria das vezes plenamente ilusório,
Sendo assim, sem que se perceba deixa-se o ódio reinar entre os seres;

Ora escondido ou ora maquiado, principalmente entre os jovens,
Reavivado pelos mais antigos que perpetuam emoções errôneas,
‘Alimentados’ por suas mágoas passadas e ainda não resolvidas,
Pela própria incapacidade de se autoanalisar e se corrigir;

Será que ninguém irá ‘crescer’ nas suas atitudes e pensamentos?
Passam-se as gerações e há o prazer em dar continuidade ao mal,
Que benefício isto traz aos que são insistentes nas insanidades?

Destruímos não só os que estão presentes, muito mais aos que virão,
É preciso dar vida as raízes da tolerância, do respeito e da compreensão,
Faz-se premente a maturidade d’alma, muito mais do que a beleza d’um corpo.






















Luz Guia...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 06/agosto/2017


Oh Deus...
Luz que me guia,
Criador do Céu e da Terra,
Pai de Jesus Cristo,
Meu Pai;

Dai a mim a Vossa Benção,
O acolhimento da Vossa Paz,
Permita que se manifeste em mim a Vossa Bondade,
O néctar da solidariedade que se possa fazer, pois recíproco,
O entendimento constante do respeito ao próximo,
A todos os seres vivos indistintamente,
A caridade ofertada a todo tipo ser existente,
O amor palpável e incondicional ao planeta,
Este ‘mágico ser’ que a cada um de nós acolhe,
Dá-nos a sua guarida quando cá se chega,
Também a sua terra no descanso final;

Ensina-nos o poder do conjugar do verbo,
Amar aos animais,
Amar as flores,
Amar as árvores,
Amar as pessoas,
Amar a vida,
Amar para ser amado,
Que a minh’alma seja límpida,
Clara na Luz das Tuas palavras,
Pura nas atitudes aos que estendem a mão,
Que jamais deixe de habitar em mim a compaixão,
A piedade que se solidariza com aquele que precisa,
O gesto que conforta e devolve a essência do viver,
O tempo real da reflexão do que se pratica,
Muito mais pelo o que se deixou de fazer;

Dai aos meus lábios a Dádiva da oração,
O saber da hora certa da palavra amiga,
A prudência do saber simplesmente ouvir,
O bom senso para que se possa consolar o aflito,
O poder renovador do abraço sincero e franco,
A benevolência para aquele que nos trate com descaso,
O perdão sincero ao que nos deseja o mal,
Livra-me, pois da ignorância que faz por aprisionar,
Que exista a lucidez para que se veja o erro,
A humildade para assim ‘admiti-lo’,
A dignidade para solicitar um auxílio,
Jamais a arrogância que busque ofertar o isolamento,
Que nunca precise me fartar da soberba;

Dai-me a simplicidade,
Livra-me sempre...
Da luxuria do falso viver,
Da arrogância que ilude e consome,
Que eu possa ser merecedor do mínimo,
‘Deste’ que se fará suficiente ao corpo e ao espírito,
Que de meus lábios se liberte o sorrir legítimo,
A palavra que se fará amiga e animadora,
Que eu não blasfeme contra ao outro,
Muito menos no uso do Teu Nome Santo,
Que nunca faça de Ti uma religião pela ganância,
Não engane para que não seja de fato enganado;

Dai a mim o que me baste e me complete,
Que eu possa beber d’água que me sacie,
Possa ofertá-la a quem ‘desta’ precise,
Que eu tenha o alimento para o corpo,
Possa ofertar ‘este mesmo’ a quem precise,
Que seja eu o Teu sublime instrumento,
Pratique aos teus ensinamentos,
Leve o Teu nome adiante,
Mesmo quando no silêncio,
Que eu acolha para ser acolhido,
Seja nos momentos de felicidade,
 Muito mais na hora da adversidade,
Que a harmonia seja o meu caminho,
Que muitos possam por ‘este’ também seguir,
Em nome de Deus Pai,
Deus Filho,
Deus Espírito Santo,
Amém...






















Essenciais...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 04/agosto/2017


Adoro e não nego, pois observar-te,
Apreciar em segredo ao teu sorrir,
Teu jeito, assim meio sem jeito,
Esta magia que em ti ‘habita’;

Sentir o afeto liberto d’o teu abraçar,
Absorver-me d’esta tua ingenuidade,
Tua carícia sincera que ‘toca’ n’alma,
O som da tua voz que me cativa;

Vez ou outra findar em ti a tua raiva,
Ouvir as tuas lamúrias e dar-te a paz,
Ser parte do teu silêncio e pronto;

Captar as tuas emoções e sentimentos,
Ofertar a ti parte do meu singelo viver,
Saber que se ‘espelhas’ em mim e eu em ti.














Postagens populares