"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Boletim 269 - [ Olhos nos olhos... Quando dezembro chega... Palavras de conforto... Méritos... ]
























Olhos nos olhos...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 30/novembro/2017



Tenha, pois coragem,
Diante d’estes meus olhos,
 Diga que já me esqueceu,
Que nada representamos;

Que tudo foi um engano,
Que não houve o gostar,
Que não existiu o amor,
Que tudo foi apenas erro;

Minha pele ‘vestia’ a ‘tua’,
Respirávamos o mesmo ar,
Hoje, tua pele me envenena;

Meus lábios, meu corpo,
‘Estes’ ‘habitavam’ aos ‘teus’,
Hoje, ‘morro’ por me libertar.























Quando dezembro chega...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 01/dezembro/2017



Faz-se visível como à pessoa é hoje um ser plenamente vazio,
Voltado apenas para si, nas suas necessidades e frivolidades,
Preso em seu celular, na sua suposta rede não tão social,
Distante da realidade do contato físico entre seus amigos;

Envoltos em notícias que nem sequer as lê por completo,
Perdido na rapidez do dia-a-dia que parece, pois consumi-lo,
‘Rouba-lhe’ o tempo necessário que nem oferta-se um bom dia,
Segue em silêncio pelas calçadas vendo ao outro como inimigo;

E assim caminha indiferente, inacessível e até imperceptível,
Envolto em olhar um mero teclado que lhe dá tudo o que busca,
Renegando a proximidade dos da sua espécie, como a temê-los,
Feliz e saciado na falsa alegria da modernidade que o escraviza;

Passam as horas, os dias, os meses e vai embora mais um ano,
Questiona aos outros e reclama, mas não faz nada para melhorar,
Apenas espera que outros o façam para quem sabe assim usufruir,
Por vezes brada no peito como se fosse um deus entre mortais;

De repente, não mais que de repente, parece então retornar a vida,
Tomado por uma mágica quase insana desperta de seu mundinho,
Envolve-se que temporariamente de bons sentimentos e emoções,
Transforma-se d’água para o vinho, faz-se aos olhos mais humano;

Desvencilha do seu lado máquina fria para ser quem sabe afetuoso,
Troca à máscara dos meses passados, pela luz do suposto bom espírito,
Enternecer-se de bondade, da ignorada caridade e do ato em ser solícito,
‘Esconder’ ou tentar se ‘libertar’ dos seus atos, quem sabe desumanidades;

Querendo resgatar o que deveria ser presente, palpável e constante,
Afeto, dignidade, respeito, carinho, consideração, harmonia e amor,
Nobreza, caráter, honra, companheirismo, valores eternos d’alma,
Não apenas porque é chegado o Natal e o Nascimento do Criador.























Palavras de conforto...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 05/dezembro/2017



Tu o fruto de meu ventre,
Sangue real do meu sangue,
Não quero ver-te chorar,
Não faça do partir uma dor;

‘Libertei-me’ da matéria física;
O corpo que se fazia cansado,
Consumido, pois pelo tempo,
Por dores e alguns sofrimentos;

‘Este’ volta ao pó da existência,
Agora minh’alma faz-se livre,
Pronta para esta nova jornada,
Novos aprendizados e lições;

Desfrutei do teu sincero amor,
Dei-te dignidade, honra e caráter,
Cumpri o que me coube em vida,
Acredite, sigo feliz na Paz do Criador.























'Homenagem aos Formandos da E.E. Sud Mennucci - 2017 - Ensino Médio'

Méritos...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 03/dezembro/2017





Chega-se puro e indefeso para o viver,
Somos recebidos através d’expectativas,
Esperança que ‘liberta’ o sorrir dos olhos,
Alegrias que os lábios cantam aos ventos;

O tempo se aproxima e ‘brinca’ conosco,
Prepara-nos, pois inúmeras surpresas,
Aprenderes que se fazem essenciais,
Desde a nossa mais tenra idade;

Afetos de mãe e pai,
Carinho e pureza,
Outros tantos,
Parentes,
Amigos,
Primos,
Avó,
Avô,
Tios,
Tias,
Mais,
De vizinhos,
D’outros tantos pela vida;


‘Vida – um brinde diário e um presente a vivenciar’


‘Bebemos’ deste néctar,
Assim crescemos no aprender,
Obtêm-se então a lenta maturidade,
Forja-nos como seres dignos e conscientes,
Traz até nós o vivenciar das responsabilidades;

As belezas da natureza que brilham aos olhos,
Etapas e mais etapas a serem descobertas,
O respeito aos que ao nosso lado estão,
A consideração pelas demais espécies;

O manifestar do amor bondade,
O altruísmo palpável d’alma,
A nobreza de caráter,
A dignidade própria;

Na compreensão,
Nas adversidades,
Na solidariedade,
Nos sentimentos,
Na perspicácia,
Na tolerância,
Nas vitórias,
Nos tombos,
No levantar,
Seguros na,
Razão e emoção;

Coragem e medo,
Prudência e atitude,
O consciente desabrochar,
Para a importância da vida.














Postagens populares